Tratamento Farmacológico para a Ejaculação Precoce

A ejaculação precoce é um distúrbio que está se tornando cada vez mais comum, atingindo aproximadamente 30% dos homens do planeta. Entretanto, esse número ainda poderia ser maior se muitos homens não tivessem vergonha de assumirem o problema ou se não sofressem preconceitos por não poderem satisfazer as suas parceiras.

Por isso, muitos homens não procuram por tratamento, sofrendo calados. Esse comportamento causa males psicológicos que podem se tornar graves como a depressão, a baixa auto-estima e o isolamento social.

Então, o ejaculador precoce deve ter a consciência de que esse distúrbio é completamente normal e de que ela pode ser tratada se o tratamento for seguido com disciplina e força de vontade.

Portanto, o primeiro passo deve ser dado pelo homem que sofre de ejaculação prematura, aceitando que sofre do problema e que ele pode ser curado. Aí, um urologista deve ser procurado para oferecer o melhor tratamento para o seu caso. O tratamento farmacológico é muito utilizado por oferecer efeitos rápidos.

O medicamento específico para o tratamento da ejaculação precoce ainda não existe no Brasil. Muitos homens que sofrem desse problema têm as suas causas na ansiedade e no estresse. Por isso, os remédios mais utilizados são os antidepressivos, que aliviam as tensões, agindo sobre os neurônios. Entretanto, essas drogas geram efeitos colaterais como problemas cutâneos, dores de barriga, dores de cabeça, vômitos, náuseas e diarréias.

Três tipos de antidepressivos são usados para o tratamento da ejaculação precoce: os Inibidores Seletivos da Recaptação da Serotonina (ISRS), os bloqueadores de receptores centrais de dopamina e os tricíclicos. O primeiro grupo diminui a concentração da serotonina, o que prolonga o período ejaculatório, pois esse hormônio é o responsável pelas sensações que causam a ejaculação. Os ISRS estão em drogas que contêm o Citalopram, a Fluoxetina, a Nefazodona, a Paroxetina e a Sertralina.

O segundo grupo de antidepressivos, ou os bloqueadores de receptores centrais de dopamina, retarda a ejaculação bloqueando a dopamina, responsável pela estimulação do sistema nervoso central. Ele é encontrado em remédios antipsicóticos ou neurolépticos. O Clorpromazina, o Levomeprazina, o Sulpirida, o Tioridazina e o Trifluoperazina são as substâncias que têm esse efeito sobre o sistema nervoso central.

Por fim, vem o grupo dos tricíclicos, que aumentam o nível de serotonina e de norepinefrina, bloqueando a recaptação desses neurotransmissores. Eles têm propriedades anticolinérgicas, o que inibe a acetilcolina, neurotransmissor encontrado no sistema nervoso periférico. Por isso, os tricíclicos são usados no tratamento do Mal de Parkinson, sendo que eles dão o controle muscular ao doente. Esse grupo é composto pelas substâncias Amitriptilina, Clomipramina, Imipramina, Maprotilina e Nortriptilina.

Uma droga a base do ISRS depoxetina chamada Priligy foi liberada há pouco tempo na Europa. Ela é o primeiro medicamento formulado especialmente para o tratamento da ejaculação precoce. Segundo pesquisas, os ejaculadores precoces possuem muita serotonina, hormônio responsável pela ejaculação, no cérebro e, por isso, os médicos costumam receitar antidepressivos aos seus pacientes.

Para a aprovação do Priligy em alguns países europeus, foi feito um teste com 6.000 homens com idades entre 18 e 77 anos com ejaculação precoce. Os cientistas distribuíram aleatoriamente comprimidos de 30mg, de 60mg e placebos por 12 semanas. Enquanto isso, esse grupo manteve relações sexuais por 6 meses. Desse modo, foi comprovado que o Priligy com 30mg de dapoxetina aumentou em até 62 segundos o tempo de latência ejaculatória, enquanto o de 60 mg  fez com que esse tempo aumentasse em até 4 minutos e meio. Os placebos, por seu turno, não tiveram efeito.

Uma das principais vantagens do Priligy é que o ejaculador precoce pode ingeri-lo de 1 a 3 horas antes da relação sexual, ao contrário dos outros antidepressivos, que devem ser ingeridos dias antes.

Os seus efeitos colaterais são poucos e não muito fortes, como dores de cabeça e náuseas. Além disso, eles passam rápido porque o remédio é facilmente eliminado através da urina em poucas horas.

O medicamento ainda não foi aprovado pelo governo dos Estados Unidos e não há previsão para a sua chegada no Brasil. Enquanto isso, resta esperar e experimentar os remédios disponíveis.

O spray de PSD502 tem sido muito usado pelos brasileiros e ele é um composto feito de aerossóis com lidocaína e prilocaína, cujas propriedades são propulsoras. Para que ele faça o efeito desejado, deve ser pulverizado três vezes, 5 minutos antes da relação, na glande peniana. Com ele, o período de latência ejaculatória é aumentado em aproximadamente 3 minutos. O tempo chega a triplicar no primeiro mês de uso e, com a continuidade do tratamento, ele pode aumentar ainda mais.

Há homens que utilizam drogas formuladas especialmente para a disfunção erétil como o Viagra, o Levitra ou o Cialis. Porém, esses medicamentos não têm efeito sobre a ejaculação precoce, podendo até piorá-la.

Alguns medicamentos estão disponíveis pela internet e eles prometem solucionar o problema. Entretanto, eles não são comprovados cientificamente e devem ser evitados. Os anúncios dizem que são produzidos com ervas medicinais que diminuem a sensibilidade peniana, o que faz aumentar o período de latência ejaculatória. Alguns deles são o gel Retarder e os comprimidos Prasex e Delay.

Para usar qualquer medicamento, é recomendável a consulta médica, pois eles podem causar alergias ou problemas mais sérios, já que há muitas substâncias desconhecidas por você em suas fórmulas. O auto-medicamento é muito perigoso e pode fazer com que o seu problema fique pior ao invés de curá-lo.

Por isso, assim que você constatar que sofre de ejaculação precoce, procure por ajuda médica. Com certeza, ele te oferecerá o melhor tratamento e fará com que você se sinta melhor.

tratamentos naturais que podem ser feitos para o tratamento da ejaculação precoce. Eles são baseados em exercícios simples e fáceis de serem realizados e, consequentemente, não causam efeitos colaterais e nem dependência química. Tenha uma vida sexual plena e feliz, satisfazendo prazerosamente a sua parceira. Saiba mais.

GD Star Rating
loading…

Tratamento Farmacológico para a Ejaculação Precoce, 5.0 out of 5 based on 1 rating

Meu nome é Luiz Alfredo e sou o autor do livro digital "Ejaculando com Controle: Básico e Avançado". Sofri durante muitos anos de ejaculação precoce e hoje ensino as pessoas a como acabar com a ejaculação precoce de vez e enfim ter uma vida sexual maravilhosa.


Todos os direitos reservados E-Commerce Publicações Digitais LTDA - Copyright © EjaculandocomControle.com . - Termos de Uso e Privacidade -