Como vencer o medo de perder a parceira e viver mais tranquilo

medo de perder a parceira

Você já chegou a afirmar para si mesmo que não seria ninguém sem a sua parceira? Ou que não sabe o que faria se a perdesse? É comum sentirmos às vezes um medo de perder a parceira. Principalmente quando temos uma boa relação e alguma coisa parece abalar e ameaçar esse vínculo.

Pode ser um conflito de interesses, uma fase turbulenta ou mesmo algum problema no relacionamento como disfunções sexuais, por exemplo.

Mas é importante lembrar que o medo de perder a parceira normalmente é fruto de insegurança e dependência emocional, e, portanto, deve ser eliminado.

Isso porque esse medo pode levar o homem a comportamentos destrutivos e prejudiciais para o relacionamento. Então é ele que, ironicamente, poderá gerar o fim da relação que o homem tanto temia.

Por isso, se você se encontra nessa situação ou mesmo quer evitá-la, continue a leitura. Pois neste conteúdo iremos trazer algumas reflexões sobre o medo de perder a parceira e como acabar com essa preocupação em sua vida.

Assim, você poderá começar essas providências ainda hoje a fim de superar o problema.  Do contrário, o próprio medo de perder a parceira pode ser justamente a causa que levará ao fim da relação.

Como vencer o medo de perder a parceira

Para vencer o medo de perder a parceira é importante entender a raiz do problema. E em seguida tomar algumas atitudes para evitar esses tipos de pensamentos e as ações que eles desencadeiam. Então criamos o passo a passo abaixo com 10 dicas para combater o medo de perder a parceira e ter mais autoconfiança e tranquilidade na relação.

É realmente apavorante viver sob uma ameaça iminente de fim da relação e ficar imaginando as mais trágicas hipóteses como traição, abandono e morte, por exemplo.

Isso cria uma sensação de temor e desconfiança na mente masculina. O que pode propiciar situações desconfortáveis e até mesmo agressividade. Portanto, antes que você chegue a esse ponto (ou se chegou mas quer mudar de rumo), confira a seguir as 10 dicas sobre como vencer o medo de perder a parceira:

1 – Entenda a raiz do problema

O primeiro passo para acabar com o medo de perder a parceira é perceber de onde surgiu esse medo, como se originou e os possíveis motivos.

Então reflita sobre esse medo. Porque refletir é tentar entender os motivos de ele existir e conhecendo a causa é possível amenizá-lo.

Pense no que agrava esse medo e o que o torna mais leve. Coisas que ela faça como ficar mais distante ou fria na relação. Ou, pelo contrário, mais próxima e carinhosa. Esse tipo de ocorrência pode indicar um tipo de dependência emocional pela sua parceira.

Perceba também como está o contexto da sua vida e da sua parceira quando esse medo surge.

Você estava desempregado, doente ou passando por um problema pessoal e temia que ela o desprezasse? Ela estava em um novo ambiente de trabalho ou estudos e você não conseguia confiar nela ou nas pessoas? Vocês estavam tendo discordâncias ou problemas na área sexual?

Os acontecimentos da vida e da relação podem produzir medo da perda, sobretudo quando somos muito inseguros ou não confiamos na solidez da relação.

Além disso, o medo e desconfiança podem estar relacionados a experiências negativas em relacionamentos anteriores, como mentiras e decepções não superadas.

Experiências negativas na infância também podem fazer com que o homem desenvolva medos em relação à vida amorosa. Como nascer e crescer em famílias disfuncionais que apresentam maus modelos de relação, por exemplo.

Saber conviver com esses traumas pode ajudar a eliminar as barreiras emocionais contra sua autoconfiança e felicidade no relacionamento.

O primeiro passo em relação a essa reflexão, é, portanto, entender quando, como e porque o medo de perder a parceira acontece. E a partir disso tratar cada tipo de complicador e tomar atitudes em prol da mudança.

2 – Aumente sua autoconfiança

Como a insegurança é o principal motivo do medo, o primeiro passo após entender a situação é investir na autoconfiança.

Algumas pessoas têm o hábito de dar atenção apenas aos seus próprios defeitos e falhas e quase nunca se sentem motivados e felizes por suas características e habilidades.

Então comece hoje o exercício de pensar em tudo o que você é e faz que seja positivo e interessante. Permita-se um elogio a si mesmo, tenha orgulho sobre o homem que se tornou.

Além disso, mude sua postura para uma pose mais confiante e animada durante alguns minutos do dia. Essa simples atitude, inclusive, é capaz de aumentar os níveis de testosterona em 20% de acordo com uma pesquisa da Universidade de Harvard, conduzida por Amy Cuddy.

3 – Não perca sua essência

Algumas pessoas costumam se apagar logo que começam a se relacionar com alguém. Elas perdem a própria individualidade. Passam a concordar com tudo que o outro diga, afastam-se dos amigos e deixam de investir nas atividades que gostava de praticar.

Um homem que tem confiança em si mesmo não perde a sua essência e continua investindo em sua personalidade própria. Cultiva algum hobby, tem planos e sonhos para o futuro e um jeito único de se comportar.

Ele desperta interesse e se torna muito mais atraente. A mulher passa a admirá-lo pelo que ele é e o homem para de achar que é só fazendo coisas que ganha o afeto da parceira.

É claro que a vida a dois pode modificar alguns hábitos e trazer novas funções e responsabilidades. Mas a essência de cada um deve continuar ali. E ambos devem apoiar o plano um do outro e colaborar ativamente para o funcionamento da relação, não apenas uma das partes. O importante é o equilíbrio entre o que é individual e o que é comum.

4 – Identifique as responsabilidades

Agora é importante entender se o medo de perder a parceira é algo que surgiu por responsabilidade de um ou ambos.

Por exemplo, se sua parceira ameaça deixá-lo para conseguir vantagens, você precisa conversar com ela sobre o desconforto desse tipo de situação. Por outro lado, se você a trata com dureza ou é infiel, não é atoa que teme a partida dela. Portanto, retrate-se com ela e transforme seu comportamento.

Agora, se esse tipo de medo ocorre porque a relação sexual não vai bem, vocês podem procurar juntos uma forma de melhorar o sexo. Apimentar a relação com novas posições, lugares inusitados e brinquedos sexuais, por exemplo, pode avivar a relação.

E se o problema for relativo a uma disfunção sexual como a ejaculação rápida, existem métodos e exercícios para controle da ejaculação que você pode praticar sozinho ou com a ajuda da parceira.

O treinamento CAE4S é um exemplo de solução natural e discreta que você pode procurar, pois é realizada de forma 100% online e sem uso de qualquer produto artificial. Conheça mais sobre o Programa Controle da Ejaculação em 4 Semanas clicando aqui ou no banner abaixo:

medo de perder a parceira

5 – Evite a dependência emocional

A dependência emocional no relacionamento também pode trazer medo de perda. Essa dependência consiste na ideia de que a sua felicidade depende dessa relação. Ou seja, somente estando com a sua parceira é que você estará feliz. Então você faz mil e uma coisas por ela apenas para mantê-la na sua vida.

Assim, o medo de perdê-la, na verdade, é um medo de perder a felicidade que ela lhe proporciona. E então você pensa que sem ela será eternamente infeliz.

Já conseguiu ver o problema nisso? Ninguém pode ser responsável pela nossa felicidade. Não é uma tarefa que possa ser ‘terceirizada’. Devemos ser felizes por quem somos independentemente de com quem estamos. Ou se estamos sozinhos, não importa!

Então aprenda a estar satisfeito em qualquer situação. Não transfira toda a sua felicidade para a relação. E fique tranquilo pois isso não quer dizer que vocês não vão tornar feliz um ao outro, porque vão! Mas não vão depender disso para viver. Porque as pessoas falham, as pessoas morrem, mas a vida continua. E é melhor que seja feliz, não é mesmo?

Portanto, tente perceber se existe algum tipo de dependência afetiva e evite se desgastar emocionalmente e fazer de tudo só pelo medo de perdê-la. Aja naturalmente, agrade seu par mas não se esforce ao ponto de demonstrar carência excessiva. 

6 – Seja proativo e tranquilize-se

Nesta dica a pergunta essencial é: O que você faz para não perdê-la?

Porque é interessante pensarmos também que o medo de perder a parceira pode estar relacionado com a nossa própria indiferença. Ou seja, em alguns casos nós sabemos que deveríamos fazer mais pela relação, mas não o fazemos.

Assim, acabamos ficando com medo de perder a parceira, pois sabemos que não estamos fazendo nada para o relacionamento funcionar.

Nesse ponto de vista, perder o medo também significa passar a se comportar de uma forma proativa para a manutenção do relacionamento.

Dessa forma, você irá perder o medo de perder a parceira e ainda ter uma relação muito melhor e tranquila. É como diz o ditado, “quem não deve, não teme.” E se você colabora, não tem com o que se preocupar.

7 – Dialogue com ela

Converse com sua parceira sempre, sobre tudo. Mantenha o diálogo aberto sobre o que gostam e o que não gostam na relação. Conversem sobre sexo, sobre ciúmes e inseguranças.

Conversem sobre os interesses pessoais e sobre os planos para o futuro. E fortaleçam o vínculo de respeito e amizade entre vocês. Assim não sobrará tempo para ter medo de perder a parceira. E então as suas energias poderão ser voltadas para fazer a relação dar certo, naturalmente.

8 –  Mantenha a balança equilibrada

Isto significa que a relação não pode sobrecarregar nenhuma das partes. Ambos são responsáveis pelo bom andamento do relacionamento.

Então, não é justo que você se esforce além das suas forças para agradá-la enquanto ela não demonstra o mesmo interesse. E vice-versa.

Isso também se aplica para a manutenção do lar, caso morem juntos, pois ambos vivem sob o mesmo teto. Hoje em dia as mulheres também trabalham fora e chegam do trabalho tão cansadas quanto você. Então não é justo aguardar que ela prepare o jantar sozinha, por exemplo. Isso pode ser, inclusive, um bom momento de atividade em casal.

E mesmo que sua parceira não trabalhe fora, isso não quer dizer que ela é a única responsável por todas as tarefas da casa. Ela precisa resolver outros assuntos que não as tarefas domésticas, precisa do seu carinho e atenção. E não pense você que ela não está cansada!

9 – Entenda que o fim é uma possibilidade

É preciso sempre estar pronto para perder alguém querido, pois isto faz parte da vida. Algumas coisas podem ser evitadas, como comportamentos ruins, outras não. A morte e o conflito profundo de propósitos de vida, por exemplo. Às vezes não há mesmo compatibilidade. Mas tudo bem perdê-la.

Ou melhor, ela não é sua para que possa ser perdida, não é sua posse. Mas pertence a esse vínculo enquanto ele se manter.

Você pode fazer tudo para mantê-lo, mas como vimos, se não houver equilíbrio, o fim é uma possibilidade. Entenda mas não se preocupe com isso. Dessa forma, se isso chegar a acontecer você terá inteligência emocional para superar.

10 – Seja feliz de todo jeito

Os relacionamentos são parte importante de nossas vidas, mas isso não significa que sejam a única coisa importante da nossa vida. A felicidade não está em outra pessoa, mas em tudo o que nos forma e faz o que somos.

Isso inclui os relacionamentos mas também nossas características, nossos sonhos, nossas atividades diárias e a própria forma como enxergamos o mundo. Então procure ser feliz em todas as fases da sua vida. Seja feliz de todo jeito!

Comece a aplicar essas dicas ainda hoje e aproveite um relacionamento mais feliz e uma maior autoconfiança.

Nos vemos em breve.

 

Um abraço,

 

Equipe ECC.

Já Deixou O Seu Comentário?

A Sua Opinião É Fundamental, Participe!

Leia tambem:

Evite os motivos da insatisfação sexual das mulheres e garanta o prazer

Como não perder sua vida sexual depois da paternidade e cuidar dos filhos sem problemas

satisfação feminina

Satisfação Feminina não tem a ver com sexo. Descubra o que as mulheres querem

AUMENTE SUA POTÊNCIA
EM APENAS 10 DIAS
COM ESTE EBOOK 100% GRATUITO!