Cloridrato de Tramadol: O que é e para que serve

tramadol
Cloridrato de Tramadol: O que é e para que serve
4.7 (93.33%) 3 vote[s]

O Tramadol é um medicamento muito procurado ultimamente para o alívio da dor. Por isso, muitas dúvidas podem surgir ele. Como, por exemplo, para que serve, como age no organismo, como administrar o uso e quais as contraindicações e efeitos colaterais.

Portanto, nesse artigo iremos falar tudo sobre o Tramadol numa espécie de bula simplificada.

Assim, você irá entender melhor como ele funciona e se vale a pena fazer uso dele.

Então continue a leitura e aproveite o conteúdo!

O que é Tramadol

Cloridrato de Tramadol é a substância ativa de um fármaco opioide. Ou seja, composto químico psicoativo que produz efeitos farmacológicos semelhantes aos do ópio ou de substâncias nele contidas.

O Tramadol é usado principalmente como analgésico de ação central. Isso porque alivia a dor atuando sobre as células nervosas do cérebro e medula espinhal.

Ele é composto para administração oral e é indicado para o alívio da dor. Você pode encontrar a bula original neste link.

O tramadol pode ser comprado nas farmácias convencionais com o nome comercial de Sylador®, Tramal®, Dorless®, Sensitram®, Timasen®, Tramadon®, na forma de comprimidos ou xarope.

Também pode ser encontrado composto por interações medicamentosas com o paracetamol, como nas marcas comerciais Ultracet®,Paratram® e Revange®, por exemplo.

Para que serve o Cloridrato de Tramadol

O Cloridrato de Tramadol solução oral é indicado para analgesia (alívio da dor) de intensidade moderada a grave, independentemente do tempo que esta dor atinge o paciente, seja a dor do tipo aguda ou crônica. Tramadol não é morfina, mas é da mesma classe dos opiáceos e serve para dores mais intensas que as convencionais

Normalmente as pessoas fazem uso de Tramadol quando analgésicos comuns não surtem efeito para suas dores agudas ou crônicas.

Exemplos da dor aguda, são: pedra nos rins, crise de gota, cefaleia, entre outros. Por sua vez, a dor crônica pode ser exemplificada como uma dor na coluna, lombar, enxaqueca, dor do câncer, do nervo ciático, entre outros.

No vídeo acima é possível conferir mais aplicações. Lembrando, então, que Tramal é sinônimo de Tramadol. Portanto, são uma e a mesma coisa.

Mecanismo de ação

O Tramadol inibe a recaptação neuronal de noradrenalina e serotonina, as chamadas substâncias do prazer. Ou seja, o Tramadol impede a absorção (eliminação) desses neurotransmissores após eles fazerem efeito. Assim, esse efeito é prolongado no organismo. Esse mecanismo de ação seria então responsável por promover o efeito analgésico.

Além disso, o tramadol se combina com esses receptores opioides do cérebro e bloqueia a transmissão de estímulos de dor.

Preço do Tramadol

O preço do Tramadol pode variar entre entre 20 e 80 reais, dependendo da dose do medicamento e da quantidade de medicamentos na caixa, por exemplo.

Tramadol precisa de prescrição médica?

Sim. É importante destacar que essa medicação só deve ser usada sob prescrição médica. Em 2014, na sua última reclassificação, ele se tornou ilegal sem essa prescrição especializada.

Ainda assim muitas pessoas se arriscam com a auto-medicação e colhem consequências desastrosas.

Em 2015 foram registradas 33 mortes no Reino Unido devido ao uso incorreto do Tramadol. Por isso, o Tramadol foi considerado a droga que mais tirou vidas entre todas as drogas – incluindo a cocaína e a heroína – na Irlanda do Norte, segundo o médico  patologista Professor Jack Crane em uma entrevista para a ITV NEWS.

Portanto, para não correr o mesmo risco, consulte um médico para que ele possa prescrever a receita adequada para o seu caso.

Então use esse artigo para esclarecimento de dúvidas, porém não deixe de consultar um médico.

Posologia do Tramadol

Para se obter o efeito desejado da medicação a posologia deve ser individualizada. Ou seja, a dosagem e quantidade diária devem ser ajustadas à intensidade da dor de um único paciente.

Assim, a dosagem que serve para você não será a mesma para outro membro da família, por exemplo. Por isso é importante a prescrição da receita médica.

Aqui nós iremos apenas tratar sobre as dosagens recomendadas na bula para cada faixa etária, porém isso de forma alguma pode substituir a receita médica. Até porque, várias condições do paciente devem ser analisadas, como o uso de outros medicamentos, alergias e presença de doenças, por exemplo.

Então confira a seguir o esquema posológico recomendado na bula.

Orientações gerais para o uso

A princípio, deve ser selecionada a menor dose analgésica eficaz e só aumentar a dosagem de acordo com a necessidade.

O tratamento da dor crônica, entretanto, exige um esquema fixo de dosagem bem ajustado ao paciente.

Tramadol pode ser administrado com ou sem alimentos.

O Tramadol em cápsulas e comprimidos revestidos não deve ser mastigado ou partido. Eles devem ser engolidos inteiros com quantidades adequadas de líquidos.

Administração em Crianças

O cloridrato de tramadol não é adequado para crianças.

Administração em Adultos e jovens maiores de 16 anos

A dose única inicial será de:

  • 1 Cápsula de 50 mg.
  • Ou solução oral líquida 100 mg/mL: cerca de 20 gotas.
  • Ou 1 ampola de solução injetável (50 mg/mL) via intravenosa por injeção lenta. Isto é, 1 mL ou 50 mg de cloridrato de tramadol, por minuto.
  • Ou, ainda, em solução por gotejamento por via intramuscular com o conteúdo de 1 ampola.

Porém, em caso de dor grave, se necessário, uma dose maior (100 mg de Tramadol) pode ser considerada para dose inicial, a critério médico.

Além disso, se após a administração de dose única de 50mg de Tramadol o alívio da dor não for alcançado dentro de 30 a 60 minutos, uma segunda dose única de 50 mg pode ser administrada.

E, ainda, se o uso for da Formulação Retard comprimidos revestidos 100 mg, recomenda-se: 1 comprimido de liberação lenta (100 mg), duas vezes ao dia, de preferência pela manhã e à noite.

Administração em idosos

Em caso de dor aguda, o Tramadol é administrado em dose única ou em poucas vezes. Assim, não é necessário ajuste de dose.

Na dor crônica, geralmente não é necessário um ajuste da dosagem em pacientes idosos até 75 anos sem manifestação clínica hepática ou insuficiência renal.

Mas em pacientes idosos acima de 75 anos a eliminação pode ser prolongada. Por isso, se necessário, o intervalo da dose deve ser aumentado de acordo com as necessidades do paciente.

Contraindicações e riscos do Cloridrato de Tramadol

O uso de Tramadol é contraindicado para os seguintes grupo:

  • alérgicos a cloridrato de tramadol ou a qualquer componente do medicamento;
  • pessoas com intoxicação aguda com álcool;
  • pessoas que fazem uso de remédios para dormir;
  • pessoas que fazem uso de ansiolíticos, antidepressivos ou outras drogas psicotrópicas;
  • pessoas que sofrem de epilepsia e suas crises de convulsão não estão controladas;
  • pessoas com insuficiência renal ou hepática grave. Salvo casos menos graves, em que o médico pode considerar o prolongamento dos intervalos entre as doses.

Também é contraindicado como substitutos durante a abstinência de narcóticos.

Quanto tempo dura o efeito do Tramadol?

Dependendo da intensidade da dor, o efeito pode ter a duração de 4 a 8 horas. Mas não se deve exceder doses de 400 mg/dia. Isso seria o equivalente a 8 cápsulas de 50 mg, ou 20 gotas x 8 vezes, ou 8 ampolas de 50 mg, ou 4 ampolas de 100 mg ou 4 comprimidos de Tramal® Retard 100 mg.

Entretanto, no tratamento da dor grave advinda de tumor ou na dor pós-operatória grave, por exemplo, podem ser necessárias doses mais elevadas. Mas sempre a critério médico.

Geralmente, as necessidades após 24 horas não são maiores que a administração normal.

Quanto tempo dura o tratamento com Tramadol?

O tempo de tratamento dependerá da intensidade e frequência da dor e será prescrito pelo médico. Siga a orientação do seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento. Não interrompa ou prolongue o tratamento por conta própria.

E caso você tenha a impressão que o efeito do Cloridrato de Tramadol é muito forte ou muito fraco, converse com seu médico antes de tomar qualquer medida.

Porque caso você interrompa ou termine o tratamento com Tramadol muito cedo, é provável que a dor volte.

Em casos de efeitos adversos, comunique o seu médico a fim de alterar sua dosagem ou substituir a medicação.

Além disso, notifique ao sistema de Notificação em Vigilância Sanitária (NOTIVISA), ou a Vigilância Sanitária Estadual/Municipal. Porque assim será possível coletar mais dados sobre os efeitos adversos do Tramadol.

Efeitos colaterais

As reações adversas do Tramadol mais comumente relatadas são náusea e tontura.

A frequência de cada efeito pode ser classificada como:

  • Muito comum, quando é maior ou igual a 10% dos pacientes.
  • Comum, quando está entre 1% e 10%.
  • Incomum, quando é maior que 0,1% e inferior a 1%.
  • Rara, quando está entre 0,01% e 0,1%.
  • Muito rara, quando é inferior a 0,01%.

Agora você conseguirá mensurar quais os riscos de sofrer com cada um dos efeitos colaterais a seguir.

Dentre os efeitos colaterais muito comuns estão náusea, tontura e suor excessivo, por exemplo. Por sua vez, os efeitos adversos comuns são: dor de cabeça, sonolência, constipação, boca seca, vômito e fadiga.

Enquanto as reações consideradas incomuns distribuem-se em: palpitação, taquicardia, colapso cardiovascular, ânsia de vômito, desconforto gastrointestinal, diarreia e urticária.

E, por fim, contabilizam-se os efeitos colaterais raros, que se distribuem em múltiplos tipos de ocorrências:

  • Bradicardia
  • Aumento na pressão sanguínea
  • Alterações no apetite
  • Depressão respiratória
  • Dispneia
  • transtornos da fala
  • dormência ou formigamento
  • tremor
  • convulsão epileptiforme
  • contrações musculares involuntárias
  • coordenação anormal
  • perda dos sentidos
  • alucinação
  • confusão
  • distúrbios do sono
  • delírios
  • ansiedade
  • pesadelos
  • visão turva
  • fraqueza motora
  • dificuldade para urinar
  • tosse
  • inchaço
  • alergia grave (choque anafilático)

Causa dependência?

Em uma frequência rara pessoas que receberam cápsulas de Cloridrato de Tramadol por algum tempo e pararam abruptamente o tratamento sentiram efeitos adversos com a ausência da medicação.

Assim, na chamada síndrome de abstinência elas se sentiram agitadas, ansiosas, nervosas ou trêmulas. Também há relatos de hiperatividade e insônia.

Eventos mais raros foram ataques de pânico, alucinações, confusão, alteração da percepção da própria personalidade (despersonalização), alteração na percepção da realidade (desrealização) e delusão de perseguição (paranoia). Além de coceira, formigamento, dormência e ruído nos ouvidos (tinido).

Se você apresentar quaisquer destes sintomas ao usar ou interromper o uso de Cloridrato de Tramadol, consulte seu médico.

Referências Bibliográficas

Leppert, W (novembro–dezembro de 2009). «Tramadol as an analgesic for mild to moderate cancer pain.» (PDF).

Pharmacological reports. 61 (6): 978–92. PMID 20081232. doi:10.1016/s1734-1140(09)70159-8

Já Deixou O Seu Comentário?

A Sua Opinião É Fundamental, Participe!

Leia tambem:

losartana causa impotência

É verdade que a Losartana® causa impotência? Descubra agora os seus efeitos.

dapoxetina

Dapoxetina no tratamento da ejaculação precoce. Será essa a solução definitiva para o problema?

ervas naturais

Ervas naturais e naturopatia: medicina alternativa pode ser a solução para tratar disfunções sexuais

AUMENTE SUA POTÊNCIA
EM APENAS 10 DIAS
COM ESTE EBOOK 100% GRATUITO!